O Que Causa A Ejaculação Precoce?


Embora a causa exata da ejaculação precoce ainda não seja conhecida, acredita-se que ocorra devido a uma combinação de fatores psicológicos e biológicos.


Tratamentos populares para ejaculação precoce


Segundo a Associação Americana de Urologia, os fatores psicológicos que podem desempenhar um papel na EP são, por exemplo:

  • A ansiedade, incluindo a preocupação com a EP;
  • Possuir um histórico de abuso sexual ou de repressão sexual;
  • Depressão;
  • Pensar que tem uma imagem corporal desfavorável e/ou a falta de autoestima;
  • A diminuição do desejo sexual;
  • Stress;
  • Um sentimento de culpa (no caso de apressar as relações sexuais, o que irá desenvolver EP);
  • Possuir expectativas irrealistas sobre o seu desempenho sexual;
  • A existência de problemas no seu relacionamento.

Causa A Ejaculação Precoce


Existem ainda vários fatores biológicos que também foram sugeridos como causas da EP. Nada disto foi confirmado através de estudos extensivos, mas é sempre bom levá-los em consideração quando se pensa nas possíveis causas da sua EP. Em alguns casos, ao tratar uma condição subjacente, a sua EP poderá sofrer melhorias. Um fator que pode contribuir para o desenvolvimento da EP é a serotonina, um componente usado pelos nervos do cérebro. Um aumento da quantidade de serotonina vai aumentar o tempo da ejaculação, enquanto os níveis baixos vão diminuir esse tempo, levando à EP. Pensa-se que o desequilíbrio da serotonina causa uma pequena porção (de 2 a 5%) dos casos de EP (de acordo com a Sociedade Internacional de Medicina Sexual, em 2014).


Outros fatores biológicos que podem desempenhar um papel na EP, podem ser :

  • A hipersensibilidade da glande do pênis (a cabeça do pênis);
  • Prostatite (a inflamação da próstata);
  • Remoção/desintoxicação de medicamentos prescritos ou recreativos;
  • Síndrome da dor pélvica crónica;
  • Anormalidades nas hormonas da tireoide;
  • Um desequilíbrio de testosterona.

A disfunção erétil (DE) às vezes é confundida com a EP. Na DE, o seu pénis não consegue ficar firme ou permanecer firme o suficiente para uma atividade sexual e isso poderá ser devido a alguma condição médica subjacente. Às vezes, os homens que sofrem de disfunção erétil aceleram as suas atividades sexuais de forma a conseguirem terminar antes de perderem a ereção. Outros podem sofrer de EP devido à ansiedade que sofrem ao pensar no desempenho comprometido das atividades sexuais que têm, como consequência da DE. Tanto a EP quanto a DE podem coexistir, o que irá diminuir ainda mais a sua satisfação sexual e, por sua vez, afetar ainda mais a sua vida sexual (Serefoglu, 2014).

O envelhecimento causa alterações nas ereções e na ejaculação, mas não é uma causa direta para a EP (segundo a Associação Americana de Urologia). À medida que vai envelhecendo, as suas ereções podem não ser tão firmes e você pode não durar muito tempo antes de ejacular. Estas são mudanças naturais que vão sucedendo com a idade e os homens mais velhos podem mesmo ejacular mais cedo.


Sinais E Sintomas

De acordo com a definição da EP, o principal sintoma é a incapacidade de não ejacular dentro de um minuto após a penetração, no caso da EP permanente ou três minutos no caso da EP adquirida. Essa dificuldade em controlar a ejaculação também pode ocorrer durante a masturbação ou outros tipos de atividade sexual.


Opções De Tratamento

Um tratamento bem-sucedido da EP vai depender de si e do seu médico, e será necessário que ambos tenham uma discussão aberta e honesta sobre as suas dificuldades sexuais. Embora seja sabido que essas conversas podem ser constrangedoras, as mesmas são cruciais para que você consiga obter o tratamento correto e assim conseguir melhorar a sua saúde sexual. O seu médico fará várias perguntas para determinar se você tem EP e, no caso de tal ser confirmado, ele determinará ainda qual o tipo (se permanente ou adquirido). Segundo a Associação Americana de Urologia, 95% dos homens conseguem recuperar da EP. Existem vários tipos de tratamento para a EP, e esses são frequentemente uma combinação de terapias psicológicas, comportamentais e médicas.

A terapia psicológica para homens e para casais, como aconselhamento sexual, funciona ao melhorar a sua autoconfiança a nível sexual e, por sua vez, a ansiedade que advém do desempenho. Além do mais, ainda o permite lidar com problemas pessoais e/ou de relacionamento que possam estar relacionados à ejaculação precoce. Os problemas no relacionamento são um efeito secundário bastante comum da EP, portanto, é essencial ser aberto e envolver a/o sua/seu parceira/o no plano de tratamento (4). Os principais efeitos secundários dizem respeito ao investimento de custos e de tempo. A terapia psicológica parece ser mais benéfica quando combinada com o tratamento médico (Porst, 2019).


Existem estudos que sugerem que a terapia comportamental pode ser útil para a EP. As três terapias comportamentais mais discutidas são: o método stop-start, a técnica do aperto e exercícios do assoalho pélvico.

  • Stop-Start: Neste método, você e a/o sua/seu parceira/o realizam as atividades sexuais de forma normal, até que você se sinta quase a ejacular. Nesse momento, a/o sua/seu parceira/o terá de cessar a atividade, até que o seu desejo de ejacular tenha passado. Só depois é que poderão retomar a atividade sexual. Este processo é então repetido;
  • Técnica do aperto: você e a/o sua/seu parceira/o iniciam dão início ao sexo normalmente, até que você se sinta quase pronto para ejacular. Nesse ponto, a/o sua/seu parceira/o apertará o final do seu pênis, onde a cabeça encontra o eixo, até que o seu desejo de ejacular diminua; repita conforme necessário
  • Exercícios do assoalho pélvico (exercícios de Kegel): Estes exercícios podem ajudar a fortalecer os músculos usados durante a ejaculação. Os músculos do assoalho pélvico parecem ver a sua atividade aumentada durante a ejaculação, e o fortalecimento desses músculos pode ajudá-lo a retardar a ejaculação (Pastore, 2014). Os músculos do assoalho pélvico são também aqueles que se encarregam que você pare de urinar no meio do fluxo ou que impedem a passagem de gases.

Tratamentos populares para ejaculação precoce


Diminuir a sensibilidade do pênis pode ajudar a retardar a ejaculação em alguns homens; e existem várias formas para conseguir isso. Alguns homens acham que ao se masturbarem antes da relação sexual, estão a dessensibilizar parcialmente o pênis, o que os permite ter mais controlo sobre a ejaculação. Como alternativa, existem sprays, cremes e toalhitas de venda livre. Todos esses produtos utilizam anestésicos tópicos (medicamentos entorpecentes) como lidocaína, benzocaína ou prilocaína para diminuir a sensação do pênis. Os cremes e sprays são aplicados na cabeça do pênis de 10 a 20 minutos antes do sexo e 5 minutos antes do sexo, no caso das toalhitas. Também existem preservativos de ‘controlo do clímax’; esses diferem dos preservativos comuns porque diminuem a sensação do pênis com o revestimento de um anestésico tópico ou podem ter um látex mais espesso do que o habitual.


Quando se trata de tratamentos médicos, não existem medicamentos aprovados pela FDA para a ejaculação precoce. No entanto, alguns medicamentos são usados ‘off label’, o que significa que são utilizados para tratar uma condição que não foi aprovada pela FDA. Os medicamentos mais comuns usados para tratar a EP incluem:

  • Inibidores Seletivos Da Recaptação De Serotonina (ISRSs): Estes medicamentos foram inicialmente aprovados pela FDA para o tratamento da depressão, mas há estudos que mostraram que eles também são eficazes no tratamento da EP. A Dapoxetina é um ISRS de ação curta para o tratamento da EP, que pode ser tomado uma hora antes da atividade sexual e demonstrou ser funcional para retardar a ejaculação (Porst, 2019);
  • Antidepressivos Tricíclicos (ACT): Esta classe inclui medicamentos como a clomipramina e também foi inicialmente aprovada para tratar a depressão. Existem estudos que mostram um atraso significativo na ejaculação com TCAs, quando estes são utilizados diariamente ou sob demanda (duas a seis horas antes do sexo) (Porst, 2019);
  • Inibidores Da Fosfodiesterase-5 (PDE5i): Geralmente utilizado para tratar a disfunção erétil, este tipo inclui sildenafil, tadalafil e vardenafil. Estes são mais úteis para homens com DE e EP; a eficácia dos mesmos é incerta no que diz respeito ao tratamento exclusivo da EP (Porst, 2019).

Em Conclusão

Se você se encontra com dificuldades em controlar as suas ejaculações durante o sexo, e isso está a sobrecarregá-lo a si e ao seu relacionamento, então é provável que você sofra de ejaculação precoce. Converse com o seu médico (e com a/o sua/seu parceira/o) sobre os seus sintomas e sobre opções de tratamento.


Essenciais

  • A ejaculação precoce (EP) é definida quase sempre como a ejaculação que ocorre dentro de um minuto após a penetração, sendo o homem incapaz de controlar a ejaculação durante o sexo e sofrer de angústia como resultado;
  • 33% dos homens de 18 a 59 anos têm problemas relacionados com a EP;
  • Pensa-se que a EP se deve a uma combinação de fatores psicológicos e biológicos;
  • O tratamento da EP geralmente é uma combinação de terapias psicológicas, comportamentais e médicas.

Tratamentos populares para ejaculação precoce


Referências


Última atualização: 02.07.2020


visa'mastercard'maestroPayPal'trustly'bank wire